quarta-feira ,23 outubro 2019
Home / MMA internacional / Após estudar sobre Marreta, Jones diz: ‘Me tornei fã’

Após estudar sobre Marreta, Jones diz: ‘Me tornei fã’

 

O campeão dos meio-pesados (até 93kg.), Jon Jones, admitiu ter estudado sobre a vida de Thiago Marreta, seu adversário deste sábado (6), na luta principal do UFC 239, nos Estados Unidos. Na ocasião, o norte-americano confessou, em entrevista recente ao ‘Combate’, admirar seu adversário, mas minimizou a chance de ser derrotado pelo brasileiro neste final de semana.

“Comecei a prestar atenção no Thiago um pouco antes da nossa coletiva de imprensa. A gente teve uma coletiva em que eu estava doente e não compareci e, naquela época, comecei a estudá-lo, a ler sobre o seu passado e sobre quem ele era. Me tornei um fã dele. Eu o respeito. Sei que ele tem um trabalho social no Brasil, que ele vem fazendo artes marciais a vida toda, que ele já serviu o exército brasileiro”, confessou o campeão.

‘Bones’ ainda afirmou que buscou conhecer sobre a origem de Marreta que, hoje, possui um trabalho comunitário importante dentro da comunidade em que foi criado. Marreta nasceu na Cidade de Deus (2002), muito conhecida no Brasil também em consequência do filme brasileiro, que foi indicado a quatro Oscares no ano de 2004.

“Sei que ele veio da favela, e eu realmente respeito o fato de ele estar ajudando a sua comunidade. Acho que é um cara confiável”, disse Jones.

Embora tenha mostrado muita admiração por seu oponente, Jones permanece muito confiante sobre o resultado deste final de semana. Para o campeão, Thiago é, de fato, perigoso, mas não é tanta ameaça quanto as pessoas têm divulgado na imprensa e nos bastidores do MMA.

“Acho que ele tem um poder de nocaute muito bom, mas, como eu disse, todo mundo tem isso. Ele sempre vem para luta de forma bem agressiva, mas eu também sei que ele vem ganhando muita massa muscular e estou empolgado com isso”, admitiu Jon.

O norte-americano também aposta que o ganho de massa muscular de Jones pode ser prejudicial ao próprio brasileiro. Com o aumento de músculos, o corpo necessita de maior quantidade de oxigênio em uma atividade física, fazendo com que a resistência seja reduzida.

“Luta não é um esporte de resistência. Eu ganhei muita massa quando enfrentei o Ovince St-Preux e me cansei muito rápido. Thiago ganhou muito músculo para me enfrentar, e eu estou mais magro para essa luta. Acho que o biotipo dele, a explosão e a agressividade vão acabar funcionando contra ele mesmo”, finalizou ‘Bones’.

Você pode Gostar de:

Brasileiro Marcel Adur disputará título mundial do BRAVE no Bahrein

O peso mosca Marcel Adur terá nova chance de conquistar o título mundial de sua …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *