quinta-feira ,27 fevereiro 2020
Home / MMA Pará / Caroline Yariwake fala sobre a sua luta no LFA 54 nos EUA

Caroline Yariwake fala sobre a sua luta no LFA 54 nos EUA

Foto Wagner Santana
Caroline Yariwake é faixa preta de Jiu-jitsu c/2 graus tendo sempre se dedicado a arte suave e por isso nunca pensado em lutar MMA. Participou de inúmeras competições, mas só jiu-jitsu, esporte que ela praticava por amor.

Nesse tempo ela conheceu o Werique, Mestre em Boxe Chinês, nocauteador e com muitos sonhos a serem realizados no esporte. Ele começou a ensinar trocação a Carol, a adaptar isso pro seu jogo de Grapler e foi ai que ela começou a cogitar a hipótese de começar essa vida de luta.

Foi conhecendo esse mundo, assistindo algumas lutas dele , e então decidiu entrar de cabeça. Assim eles passaram a dividir o sonho de entrar nos maiores eventos do mundo. Atualmente, além de treinador e atleta, eles são casados e tem uma filha juntos.

Breve depoimento da Carol: Sou faixa roxa de Sanda  e sempre busco me aprimorar em todas as artes já que o MMA requer isso . Faço minha preparação física com o Bruno Kalif um personal  de altíssima qualidade, fez toda a preparação física para essa luta. E isso tem me feito dobrar  o gás junto aos treinos da minha equipe Strong team .

Confira o que a atleta Caroline Yariwake falou sobre a sua preparação e a sua luta no LFA 54

1- Será a sua primeira luta internacional, e logo disputando o cinturão de um evento importante como o LFA, uma das organizações que mais abre portas para o UFC. Como surgiu essa oportunidade e como está a expectativa para esse combate?

Essa oportunidade surgiu do meu empresário Lucas lutkus, eu mandei uma mensagem pra ele para tirar umas dúvidas que tinha sobre eventos, ele acabou falando que tinha surgido uma oportunidade de lutar o LFA e que tinha me indicado, então ele acabou fechando essa grande oportunidade que e lutar essa luta principal e cinturão.
As expectativas são grandes, porque sabemos o peso do evento e da luta , no que pode nos proporcionar essa vitória.

2- Você luta profissionalmente no MMA desde 2016, e quase três anos depois, parte para sua primeira luta internacional em um evento importante. Qual análise você faz da sua evolução durante esse tempo?

Sim comecei profissionalmente em 2016 passando os e baixos,como todo atleta, assim cheguei a perde duas lutas por não ter me achado ainda no MMA, não ter uma estratégia definida certa e etc. Já hoje em dia estou com outra cabeça, com outros tipos de treinos , precisei viajar por alguns lugares fazer parte de algumas equipes de renome para me aprimorar cada vez mais e hoje em dia creio que estou preparada mentalmente e fisicamente para um grande desafio como esse !

3- Sua adversária é campeã do LFA, está invicta e é vista como uma das melhores lutadores fora do UFC. Como você analisa o jogo dela e quais são as possíveis brechas que ela pode oferecer ao seu jogo?

Sim, é uma grande atleta, já vi algumas lutas dela. Tem bons nocautes e uma boa striker. Tenho aprimorado bastante a minha trocação, tenho mais experiência de lutas pois fiz bastante lutas duras contra boas adversárias e acredito que ela não enfrentou alguém ainda como eu. Sei que ela e boa também de jiu-jitsu, mas acredito que meu jiu-jitsu é melhor para anular o jogo dela de trocação.

4- Quais são suas maiores inspirações no MMA feminino e por quê?

Jéssica Andrade , Rose namajunas , Joanna jedrzejczyk , Amanda Lemos. Rose e Joanna por que, apesar de não conhecer pessoalmente, são grandes lutadoras de MMA, com um jogo sólido e, do pouco que conheço, são grandes Guerreiras . Jéssica e Amanda eu já pude conhecer pessoalmente e convivo com a Amanda diariamente nos treinos , são grandes exemplos em meio a dificuldade do nosso país, que conseguem se destacar e fazer um ótimo trabalho no MMA.

5- Para os fãs de MMA que ainda não te conhecem, o que você pode falar para eles sobre suas características e seus planos dentro do MMA?

Gosto de tá o tempo todo treinando em alto rendimento, sempre aprimorando minha trocação, o meu jiu jitsu, meu wrestling, assistindo lutas para aprender e me envolver cada vez mais com MMA. Meus planos no MMA é lutar UFC e ser uma grande representante do Brasil no MMA e se Deus quiser ser dona do cinturão do UFC no meu peso !

6- O sonho da grande maioria das lutadoras é estar no UFC. Assinando com o LFA e disputando o cinturão logo de cara, suas chances aumentam. Como é para você lidar com isso e de que forma é possível controlar toda a expectativa que gira em torno disso?

Toda luta encaro como se fosse apenas mais um dia de trabalho, mais um passo que estou dando rumo ao UFC. Sei da grandeza e Importância do LFA pra carreira de qualquer atleta .. estou bem confiante na estratégia que toda minha equipe está montando e se Deus quiser vai ser só mais um dia de trabalho com sucesso!

Você pode Gostar de:

Deiveson “Deus da Guerra” fala sobre a rivalidade contra Benavidez

O dia 29 de fevereiro marca a primeira disputa de cinturão do UFC envolvendo um …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *